21/12/2018 as 08:51

Espera

Pacientes com câncer continuam sofrendo

A espera é para grande parte dos pacientes oncológicos que eram tratados no Hospital de Cirurgia, e com a quebra da máquina de radioterapia, foram transferidos para o Huse


Pacientes com câncer continuam sofrendoFoto: Jadilson Simões

Com câncer de colo de útero, uma sergipana de 41 anos de idade, que terá a identidade preservada, e necessita de tratamento de quimioterapia e radioterapia, foi surpreendida com a notícia de que só terá vaga para consulta no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) a partir do dia 12 de fevereiro. A situação não é um caso isolado. A espera é para grande parte dos pacientes oncológicos que eram tratados no Hospital de Cirurgia, e com a quebra da máquina de radioterapia, foram transferidos para o Huse.


“Está desesperador. A palavra é essa. Só aqui, agora, comigo, tenho três pacientes nessa mesma situação. Isso acontece porque o Huse está apenas com dois radioterapeutas, que são verdadeiros anjos da guarda, no entanto, é humanamente impossível eles atenderem a demanda do Estado todo”, desabafou a representante do grupo “Mulheres do Peito”, Sheyla Galba.


Além do déficit de profissional na demanda da radioterapia, Sheyla citou o nome de cinco medicamentos fundamentais para o tratamento contra o câncer e que estão em falta: Taxol, Zometa, Arédia, Carboplatina, Dacarbozina.


“A máquina de radioterapia do hospital de Cirurgia quebrou e até agora ninguém tomou providência. Então os pacientes foram transferidos para o Huse, no entanto, sobrecarregou o hospital. O Huse só tem dois médicos de radioterapia quando deveria ter no mínimo cinco para a demanda do próprio hospital. E agora atendendo também a demanda do Cirurgia, sobrecarregou”, acrescentou Sheyla.


De acordo com o superintendente do Huse, Dr. Darcy Tavares, a situação dos medicamentos está sendo resolvida pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), e alguns estariam chegando ontem mesmo, 20, e os demais chegarão na segunda-feira, 24. “Com relação à parte médica, tivemos problemas com radioterapeutas e estávamos impedidos de contratação por conta do período eleitoral. Mas, nesta próxima segunda-feira, estaremos com um novo radioterapeuta”, informou o superintendente.


Conforme Sheyla, não há transparência quanto à fila de espera dos pacientes oncológicos no Huse. Mas, Dr. Darcy reforça que a demanda do Hospital de Cirurgia está sendo atendida num terceiro turno, no período da noite. “Com a chegada do novo profissional, a questão de fila de espera e atendimento, será redimensionado”, garantiu.

Hospital de Cirurgia
Os pacientes oncológicos, principalmente os que dependem de tratamento de radioterapia do Sistema Único de Saúde (SUS), do Hospital de Cirurgia, já sofrem há alguns anos com os constantes problemas da máquina de radioterapia. Vira e mexe os tratamentos estavam sendo suspensos porque o aparelho quebrava com frequência. Da última vez que a máquina apresentou problema, a direção do hospital decidiu não reativar mais, pelo fato de se tratar de um aparelho antigo, com peças que não são mais fabricadas no Brasil. Aguardam agora a compra de um novo aparelho para que o tratamento possa ser retomado no hospital.


No entanto, os escândalos revelados na Operação Metástase do MP, com relação às irregularidades praticadas por ex-gestores do hospital, deixaram os pacientes e funcionários bastante receosos e decepcionados.


Durante o ano de 2018, por exemplo, os profissionais chegaram a realizar diversos atos, paralisações, por enfrentar falta de pagamento de salário. A direção sempre utilizava a falta de condição financeira do hospital para justificar essas questões. No final das contas, muito dinheiro era retirado do caixa do hospital, segundo denuncia a MP, para pagamento de contas pessoais de gestores. Enquanto profissionais não recebiam, o atendimento parava, e a população sofria.


“Para os funcionários, isso foi uma grande decepção. Saber que acontecia isso, de uma direção que os funcionários confiavam. Os atrasos de salários que sofremos muito, mas, achávamos que era uma situação do hospital. Agora a gente vê que teve essa coisa vergonhosa na nossa instituição. Não posso dizer quem está certo ou errado. Mas, os funcionários estão decepcionados em ver uma direção que vivia junto conosco, médicos, colegas de trabalho, e agora estão numa situação dessa”, desabafa o diretor da Associação dos Funcionários e Amigos do Hospital de Cirurgia (Asfa), José Cícero Souza.


Ainda de acordo com Cícero, nos últimos meses a questão de pagamento de salário dos funcionários melhorou. “Algumas especialidades que estavam paradas, voltaram a funcionar. A cardiologia, a neurologia. Os funcionários não recebem em dia, porque teria que ser até o 5º dia útil de cada mês, e esse mês, por exemplo, recebemos no dia 13. Mas, melhorou bastante. Essa nova direção está querendo resolver a maioria dos problemas. Estamos aguardando com calma o pagamento do décimo. Vamos ter fé em Deus que a nossa casa vai voltar a funcionar atendendo a todos”, disse Cícero.