11/01/2019 as 10:42

em fevereiro

Aposentados terão reajuste de 1,81%

Aasaprevi diz que esse reajuste mexe com a cabeça dos aposentados, que a cada ano veem seu salário diminuir


Aposentados terão reajuste de 1,81%Foto: Divulgação

O Ministério da Fazenda informou que o benefício de aposentados e pensionistas que recebem um salário mínimo terá reajuste de 1,81% em fevereiro. O salário mínimo já havia passado de R$ 937 para R$ 954. Os aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo por mês terão reajuste de acordo com a variação oficial do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 2017, anunciado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que é de 2,07%. Com o reajuste, o teto das aposentadorias e pensões da Previdência Social sobe de R$ 5.531,31 para R$ 5.645,80.


O presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas da Previdência Social e Idosos em Sergipe (Asaprevi/SE), José Alves, disse que esse reajuste mexe com a cabeça dos aposentados, que a cada ano veem seu salário diminuir. “Cada ano alguns aposentados vão ganhando menos, e cada vez ganhando menos fica mais difícil comprar remédios, sustentar a casa, comprar comida, ir ao médico. Se o aposentado ganhava dez salários mínimos há dez anos e hoje ele ganha dois, ele tem uma mudança total de vida. É uma situação desconfortante e entristecedora para os aposentados, que só têm esse dinheiro para sobreviver”.


O aposentado reforça ainda que a reclamação maior dos trabalhadores quando se aposentam é que eles queriam qualidade de vida igual ao da vida laboral. No entanto, esse sonho tornou-se irreal. “O que estamos vendo é uma Previdência sendo saqueada. O reajuste que recebemos é muito pequeno. Temos tantos gastos, antes éramos nós que ajudávamos os filhos, hoje são eles que nos ajudam justamente porque não temos condições de nos sustentar”, lamenta.


A portaria também reajustou as faixas de contribuição dos trabalhadores para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A contribuição de 8% passa a valer para quem recebe até R$ 1.693,72. Quem ganha entre R$ 1.693,73 e R$ 2.822,90 pagará 9% e quem recebe de R$ 2.822,91 até o teto contribuirá com 11% do salário. Como o recolhimento se dará sobre o salário de janeiro, as novas faixas só entrarão em vigor em fevereiro.

Por Grecy Andrade/Equipe JC