15/03/2019 as 13:40

SERGIPE

Ações de prevenção às violências se realizam em escolas estaduais

Objetivo é minimizar hostilidade em colégios


Ações de prevenção às violências se realizam em escolas estaduaisFotos: Maria Odília/ASN/Divulgação

Sob a coordenação da Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc), o Governo de Sergipe implementa, de forma contínua, ações voltadas à minimização de ocorrências de casos de violências – físicas e não físicas -, conflitos e depredação do patrimônio público no ambiente escolar.

Nesse sentido, a Seduc atua junto às unidades escolares da Rede Estadual por intermédio do Núcleo de Segurança Escolar (NSE) e do Serviço de Educação em Direitos Humanos (SEDH), setores do órgão responsáveis pelo desenvolvimento das ações preventivas e de atendimento pontual às ocorrências dessa natureza.

“Já fui alvo de bullying (violência não física) numa outra escola na qual estudei e tive depressão por conta disso. Hoje estou curada por força da vontade que tenho de conquistar meus sonhos de ser dançarina profissional e psicóloga. Toda ajuda é necessária. Por isso acho muito importante a Secretaria da Educação vir à nossa escola e promover esse tipo de discussão entre os estudantes”, afirmou Julie Vitória Silva, aluna do Colégio Estadual Professor Paulo Freire, referindo-se à ação de acolhimento aos estudantes da escola, que técnicos do SEDH realizaram nesta quinta-feira, 13.

De caráter preventivo e voltada à orientação e reflexão acerca das várias formas de violência que podem ocorrer no ambiente escolar, a atividade desenvolvida pelo SEDH/Seduc com os estudantes do Colégio Estadual Paulo Freire integra o leque das ações do governo estadual nessa área.

“Nos reunimos com a equipe diretiva e pedagógica dessa escola durante a semana de planejamento, oportunidade na qual apresentamos os serviços que disponibilizamos. A partir desse diálogo, a escola nos demandou essa ação de acolhimento para receber os alunos no primeiro dia de aula do ano letivo 2019, como forma de trabalhar as relações interpessoais e refletir sobre as diversas formas de violência”, explica a professora Nadja Bispo, chefe do Núcleo de Prevenção à Violência (NPV/SEDH).

Fonte: ASN