12/06/2019 as 09:12

Greve geral

Ônibus não irão rodar nesta sexta

Segundo os movimentos, a prioridade é que os trabalhadores “cruzem os braços” a partir da madrugada de sexta-feira, com manifestações sendo utilizadas como complemento à paralisação.


Ônibus não irão rodar nesta sextaFoto: André Moreira/Equipe JC

Na próxima sexta-feira, dia 14, centrais sindicais e trabalhadores de todo o país irão realizar uma greve geral contra o projeto de reforma da Previdência. Uma das categorias que aderiu ao movimento foi a dos rodoviários e, por isso, nenhum ônibus estará disponível para a população aracajuana por conta da paralisação que inicia às 4h da manhã.


O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Município de Aracaju (SINTRA), Miguel Belarmino, disse que os rodoviários confirmaram adesão à greve em plenária realizada com a categoria. “Na sexta nenhum ônibus irá sair da garagem, a partir das 4h da manhã o comando de greve irá para as portas das garagens para impedir que os veículos saiam”.


Belarmino informou ainda que diferente de outras manifestações onde os rodoviários saíam com os ônibus e ficavam concentrados em um determinado ponto da cidade, o comando da greve decidiu resguardar o patrimônio. “Para não correr o risco de haver quebra-quebra e destruição do patrimônio, os ônibus não vão circular”, reforçou.

 

Greve geral

Segundo os movimentos, a prioridade é que os trabalhadores “cruzem os braços” a partir da madrugada de sexta-feira, com manifestações sendo utilizadas como complemento à paralisação. A greve geral foi aprovada pelos trabalhadores no dia 1º de Maio, em ato das centrais sindicais. A orientação da CUT às confederações, federações e sindicatos filiados em todos os setores foi aprovar a adesão em suas bases, por meio de assembleias com trabalhadores. Há categorias que farão assembleias ainda nesta semana, mas, de acordo com a CUT, a maioria já aprovou a adesão e vai participar.


Em Assembleia Geral o Sindisan (Urbanitários), Sindiserve Poço Verde (Servidores Públicos), Sintese (Professores), Sintect (Correios), Sindiprev (Previdenciários), Sinasefe (IFS), Seeb (Bancários), Sindifrei (Servidores Públicos), Sindacsei (Agentes Comunitários), Sintra (Rodoviários), entre vários outros sindicatos de Sergipe aprovaram a Greve Geral.