26/09/2019 as 16:09

EM BRASÍLIA

Aluno de Itabaiana participa do Programa Parlamento Jovem Brasileiro

Estudante apresentou o projeto de lei “Redescobrindo a História”

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

O estudante Adson de Brito Pereira, aluno do 3º ano do Colégio Estadual Murilo Braga, está em Brasília até o dia 27 de setembro no Programa Parlamento Jovem Brasileiro, com o projeto de lei “Redescobrindo a História”, que prevê um maior incentivo e visibilidade aos centros históricos e museus de todo o Brasil.

Adson foi empossado como Deputado Jovem na última terça feira, 24, e de lá para cá, tem participado de várias atividades como palestras, cursos, formações de partidos e reuniões que visam a estimular a cidadania dos alunos selecionados. Segundo o estudante, o projeto de lei apresentado por ele, foi idealizado a partir da problemática do incêndio ocorrido no Museu Nacional no Rio de Janeiro em 2018. “Com toda aquela repercussão do incêndio que atingiu as dependências do Museu Nacional, no dia 2 de setembro de 2018, veio-me aquele sentimento de impotência, de não poder fazer nada. Depois que eu soube que as inscrições para o PJB estavam abertas, percebi que minha contribuição seria a criação de um projeto de lei com o intuito de solucionar esse problema”, explicou Adson Brito.

Além da vivência como Deputado Jovem, Adson está entusiasmado com a diversidade de pessoas dentro do projeto. “Minha vivência em Brasília está sendo maravilhosa, eu encontrei pessoas impressionantes, de culturas totalmente diferentes, estou hospedado com um menino do Paraná e um do Acre e a cultura deles é incrível”, afirma.

A técnica da Assessoria Internacional da Seduc, Nádia Cardoso, está acompanhando o estudante na jornada e conta que é uma experiência rica, por conta da formação, das visitas e troca de experiências. “Está acontecendo formação sobre o que é política e sobre democracia. Eles sairão daqui com uma visão da responsabilidade que cada um tem a respeito da vida do país, do seu estado e da sua cidade, aprendendo que ninguém é isento das decisões políticas do Brasil”, conta Nádia.