10/10/2017 às 16h38 - Cidades

Abandono de animais: políticas públicas precisam ser trabalhadas

ONGs alertam para a importância de uma adoção responsável e a castração dos animais.

Por: JornaldaCidade.Net

Foto: Jadilson Simões/ Equipe JC

 

O abandono de animais ainda é, infelizmente, uma prática muito comum. Animais são abandonados diariamente nas ruas e quem os abandona está praticando uma atividade criminosa. Para ajudar esses animais domésticos existem as ONGs que realizam o trabalho de resgate e oferecem um lar até que seja encontrado outra pessoa que queira adotar um amigo. 

 

A Associação Defensora dos Animais São Francisco de Assis (Adasfa) oferece abrigo e alimentação para os animais que são abandonados nas ruas de Aracaju. Maria Antônia Teles, presidente da Associação, conta que, atualmente, eles atendem cerca de 400 cães e 300 gatos, por isso, eles pedem que a pessoa que encontra um animal na rua forneça, pelo menos, um lar temporário. “Se o animal encontrado está saudável, nós pedimos para a pessoa ficar com ele, pelo menos, temporariamente. Nós postamos nas redes e divulgamos suas fotos para encontrarmos um novo lar. Caso o animal esteja muito doente e precisa de um tratamento mais demorado, nós acolhemos ele”, explica.

 

Maria também alerta para a adoção responsável. “As pessoas devem ter consciência de que os animais não são objetos, são como membros da nossa família. A adoção deve ser feita de forma consciente. Nós da ONG doamos os animais para quem tem condições de cuidar, caso a pessoa não se adapte, o animal deve voltar para cá e não ser repassado para terceiros”, afirma.

 

A presidente da Associação também fala sobre dar um animal para uma criança como presente. “Muitas vezes os pais querem dar o animal como um presente para a crianças, mas o animal não é um brinquedo, ele deve ser muito bem cuidado” aconselha. Quem adota também deve levar o animal à uma clínica veterinária para deixar todas as vacinas em dia e, se possível, realizar a castração.

 

Quem também luta pelos direitos dos animais em Aracaju é Nazaré Moraes, presidente da ONG Educação e Legislação Animais (Elan). “Atualmente nós somos a única organização que luta pelas políticas públicas e pelo combate aos crimes contra animais aqui no Estado de Sergipe. Existem leis de nível federal que protegem os animais, mas aqui elas são desrespeitadas”, considera. 

 

Nazaré acredita que o abandono de animais é uma questão de saúde e segurança pública. “Não é culpa do animal estar ali na rua. Ele pode estar doente e até mesmo machucar alguém. Quem deve resolver isso é o poder público”, destaca. 

 

Políticas Públicas


Um ponto que a Elan cobra muito são as políticas públicas para os animais em Aracaju. A esse respeito, a vereadora Kitty Lima (REDE) conseguiu, ainda neste ano, sancionar dois projetos de lei para auxiliar nesse ponto. O primeiro projeto prevê o direito a castração de cães e gatos machos “Nós vamos trabalhar com o castra móvel, vamos estar rodando pelos bairros para realizar a castração em animais de rua e também para quem tem o seu animal, mas não tem condições para pagar uma cirurgia. A castração de fêmeas será realizada com futuros parceiros da Prefeitura Municipal de Aracaju, como clínicas veterinárias e faculdades”, frisou Kitty. 

 

O dia 4 do mês de outubro é conhecido como o Dia Nacional de Adotar um Animal, o segundo projeto da vereadora faz com que a Prefeitura promova esse dia e conscientize a população sobre a importância desse ato.

 

Feiras de adoção


As duas ONGs realizam companhas de adoção para encontrarem novos lares para os animai. A Adasfa realiza mensalmente duas feiras. Maria conta que o movimento dessas feiras é bom, o problema é para adotar animais adultos. “Quando conseguimos doar um cão ou gato já adulto, é uma festa”, revela. Todos os animais são devidamente vacinados antes de irem para as feiras.

 

A Elan também realiza feiras de adoção uma vez a cada 15 dias. Nazaré observa que todos os animais saem da ONG microchipados para facilitar a identificação do animal e eventualmente de seu dono também.

 

Castração


A castração é um procedimento extremamente importante para o controle populacional. Em 5 anos de trabalho, a Elan castrou cerca de 13 mil animais. A presidente da ONG revela que, em Aracaju, foi realizado a aquisição de um castra móvel, que atualmente está parado. “Temos um castra móvel que foi adquirido com dinheiro público e que está empacado. A gestão atual ainda não colocou essa política pública em prática. Isso também é uma questão de controle populacional, é necessário castrar esses animais de rua. A Elan também está lutando pela implantação de dois castra móveis a nível estadual”.

 

Os animais acolhidos na Adasfa também são castrados. Maria considera importante a realização do procedimento. “Atualmente nós castramos todos os machos para evitar a procriação e as brigas entre eles também, agora nós começamos a castrar também as fêmeas”, diz. 

 

Legislação


Segundo o Artigo 32 da Lei Federal n° 9.605/98 é considerado crime a prática de maus-tratos contra animais domésticos. Um dos maus-tratos mais comum é o abandono, a pena para esse tipo de crime é a detenção de 3 meses a 1 ano e multa.

Comentários

comments powered by Disqus