06/06/2019 as 07:41

Cauê incomoda

Atuação de Cauê vem causando incômodo a pretensos candidatos a prefeito de Aracaju

Para Cauê, essa atitude só revela a completa ausência de ideias desses postulantes – e uma tentativa sombria de tentar atribuir ao marketing o sucesso ou insucesso de uma empreitada eleitoral.


Cauê incomoda 1

A presença do jornalista e publicitário Carlos Cauê na Secom de Aracaju vem causando incômodo a pretensos candidatos a prefeito da capital. Em recente entrevista, o radialista Gilmar Carvalho, que já declarou ser candidato, encerrou uma entrevista dizendo: “Cauê, prepare-se”. E o deputado Rodrigo Valadares, a quem também se atribui a intenção de se candidatar, fez circular vídeo em que menciona o profissional de comunicação, alertando para uma possível influência do marketing no direcionamento da PMA.

Cauê incomoda 2
Instado a falar sobre o assunto, Carlos Cauê não esconde o bom humor e dá risadas. Alerta: “Não sou candidato a prefeito, não tenho intenção de disputar eleições e quem o quer fazer, ao invés de preocupar-se com um simples profissional de comunicação como eu, deveria estar apresentando à sociedade uma plataforma de trabalho, um projeto novo, alternativo, para dirigir Aracaju”.

Cauê incomoda 3
Para Cauê, essa atitude só revela a completa ausência de ideias desses postulantes – e uma tentativa sombria de tentar atribuir ao marketing o sucesso ou insucesso de uma empreitada eleitoral. “Ao fazer isso, tentam camuflar o que os aracajuanos já estão carecas de saber: eleição se vence com ideias, trabalho sério, conduta ética e serviços prestados à cidade, coisas que Edvaldo tem de sobra”, completou.

Capital da vaquejada 1
O deputado federal Fábio Reis (MDB) apresentou projeto de lei que visa conferir o título de “Capital Nacional da Vaquejada” ao Município de Lagarto. De acordo com o parlamentar, trata-se de uma justa homenagem e reconhecimento não só pelas tradições desse esporte na região, mas também pelo efeito econômico e social que tais eventos exercem na população.

Capital da vaquejada 2
“As origens do município se fundem justamente com a agricultura e a pecuária, já que toda economia inicial de Lagarto se baseava em pedaços de terra, sementes e cabeças de gado”, disse o deputado. Para Fábio Reis, as futuras gerações precisam saber que foram os pequenos agricultores e criadores de gado os construtores de toda a região. “A história dos nossos antepassados deve ser homenageada e reconhecida pelo nosso presente. É uma honra apresentar o projeto”, explicou o parlamentar.

Liberou recursos 1
O deputado federal Gustinho Ribeiro (SD) conseguiu em
Brasília a liberação de R$ 6 milhões para obras que vão beneficiar 50 mil pessoas em Lagarto. O projeto viabilizará três obras distintas: construir a nova entrada da cidade, interligar o Alto da Boa Vista à Rodovia SE-170 e a interligação da rodovia da Colônia 13 aos povoados Brasília e Jenipano, passando pela Pista do Açuzinho.

Liberou recursos 2
As obras de pavimentação sairão do papel porque Gustinho conseguiu a autorização de recursos junto ao Ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. O parlamentar conquistou junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional a liberação da Síntese do Projeto Aprovado (SPA), uma das primeiras liberadas no Brasil este ano, graças ao trabalho de articulação política em Brasília nesses primeiros quatro meses de mandato.

Em Brasília
Em audiências ontem com as equipes técnicas do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Banco do Brasil (BB), ambas em Brasília (DF), o governador Belivaldo Chagas defendeu operações de crédito de interesse de Sergipe e dialogou sobre o Plano Mansueto, o Programa de Apoio à Gestão e Integração dos Fiscos no Brasil (Profisco II) e investimentos em infraestrutura. No BB, a principal pauta foi o financiamento para a recuperação de rodovias estaduais.

Guerra de suplentes
O prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, deseja indicar o seu secretário de Administração, Adailton Souza, para disputar a sua sucessão em 2020. Ele foi candidato a suplente de senador de Heleno Silva. O empresário Edvan Amorim deseja que o indicado seja Agnaldo de Verso, ex-candidato a suplente de senador de André Moura. Esse assunto está na ordem do dia por toda a cidade.

Plano Mansueto 1
O economista Luís Moura, do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicas (Dieese), avalia que “o governador que aderir ao Plano Mansueto (ajuste fiscal) pode entregar a chave do Estado para a Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia, pois não vai precisar de governador para governar”.

Plano Mansueto 2
Moura explicou que todos os poderes serão monitorados pela Secretaria Especial de Fazenda do Ministério da Economia, que, na prática, vai se tornar um FMI piorado para os estados. “Em nome da possibilidade de os estados acessarem R$ 40 bilhões em empréstimos com aval da união, os governadores perderão qualquer autonomia de governar”, concluiu.

Forró Caju 1
A vereadora Emília Corrêa (Patriota) criticou a forma como a programação do Forró Caju vem sendo divulgada. “Acho que agora que o imperador chegou de viagem os aracajuanos vão saber sobre a programação do evento. Porque, até agora, o que a gente sabe é por meio das agendas dos artistas nacionais, como divulgou a Solange Almeida”, criticou.

Forró Caju 2
Para Emília Corrêa, é lamentável a forma como a atual gestão tem tratado a cultura. “O Forró Caju sempre foi um grande evento que gera emprego e renda para o nosso Estado e movimenta o turismo. Este ano, especificamente, fomos surpreendidos que a festa seria reduzida para apenas quatro dias,e, agora, faltando poucos dias para os festejos, ninguém faz ideia da programação oficial. É a Saúde largada e os contratos que a gente não tem acesso”, registrou.