17/07/2017 às 08h06 - CONGRESSO x TEMER

André Moura: “Nossa base está unida e coesa”

Prova disso foi o resultado da votação da admissibilidade da denúncia contra o presidente Temer na Comissão de Constituição de Justiça.

A. CRUZ/ AG. BRASIL

 

Em conversa com o JORNAL DA CIDADE, o líder do governo no Congresso Nacional, André Moura (PSC), afirmou que a base de apoio ao presidente Michel Temer (PMDB) no Congresso Nacional está unida e coesa. Segundo Moura, o governo ainda conta com uma maioria ampla no Poder Legislativo. Prova disso foi o resultado da votação da admissibilidade da denúncia contra o presidente Temer na Comissão de Constituição de Justiça.

 

“Tivemos 40 votos contrários à denúncia (ou seja, a favor da presidência) e 25 pelo acolhimento da denúncia. Não tenho dúvidas de que esse resultado no plenário será com uma diferença tão grande e elástica como na CCJ. Digo isso porque temos conversado muito com nossa base”, disse o líder do governo.

 

Segundo ele, os deputados que dão suporte ao governo avaliam que se trata de uma denúncia vazia, que não compromete em absolutamente nada o presidente Michel Temer. “Houve uma tentativa de querer ligar o diálogo que houve com o presidente Temer com o bandido do Joesley, na questão da mala, do dinheiro do Rodrigo Rocha Loures. Mas quem teve a oportunidade de ler ou ouvir o diálogo sabe que em momento algum o presidente falou de dinheiro, em recebimento de propina, em nada”, insistiu o deputado sergipano.

 

Moura disse que a coesão e união da base aumentou ainda mais após o relatório apresentado pelo deputado Sérgio Zveiter, que segundo ele foi feito sem embasamento técnico, foi somente acusatório. “Ele não se ateve àquilo que era sua obrigação enquanto relator, que era o juízo de admissibilidade. E ele fez um relatório totalmente acusatório, o que fez com que nossa base se unisse. E a prova foi o resultado que tivemos na CCJ”, ressaltou.

 

A base do governo também está sólida no Senado Federal, segundo André Moura. Para comprovar a afirmação, ele lembra que o governo conseguiu aprovar com uma vitória expressiva a reforma trabalhista. “Essa semana o governo colecionou grandes vitórias. 

 

A reforma trabalhista no Senado e o resultado da CCJ na Câmara. Além disso aprovamos na última sexta, 14, na Câmara, depois de 13 anos, a LDO, como determina a CF, antes do recesso parlamentar. Isso não acontecia há 13 anos e é mais uma prova inconteste da força da base do governo no Congresso Nacional”, concluiu.

 

Sem compra de parlamentares


Para garantir essa maioria, Moura descarta que tenha havido qualquer tipo de negociatas como promessas de ministérios e liberações de emendas. Segundo ele, essa maioria foi construída acima de tudo devido ao estilo do presidente Michel Temer de administrar e dialogar de forma respeitosa, sem tratar o Congresso Nacional com subserviência – como era tratado no governo do PT, segundo Moura.

 

“No governo anterior o PT tratava o Congresso Nacional como se fosse um apensado do palácio, não tratava de forma respeitosa. Muitas vezes os projetos do governo são alterados e a imprensa diz que fomos derrotados. Mas na verdade o governo soube sempre respeitar a posição do parlamento, que também está sabendo entender a importância da permanência do governo Temer, pelo viés político e pela economia, já que a economia do país está reagindo de forma muito positiva”, disse ele. 

Comentários

comments powered by Disqus