24/05/2019 as 08:42

Turismo

Setur gastou R$ 23 mi em consultorias

Tabela aponta despesas em contratos firmados no período de 2016 a 2019.


Setur gastou R$ 23 mi em consultorias

Circulou ontem nas redes sociais uma denúncia contendo uma planilha com informações referentes a contratos feitos pela Secretaria de Estado do Turismo (Setur) e empresas que prestam serviços de consultoria. A quantia, do período de 2016 a abril de 2019, aponta o valor de mais de R$ 23 milhões – exatamente R$ 23.778.821,10.

Conforme o JORNAL DA CIDADE apurou, no portal da transparência do Governo de Sergipe, muitas empresas estão ganhando bastante com serviço de consultoria, como qualificação profissional e apoio a micro e pequenas empresas, além de aprendizagem comercial. Porém, a “farra” com isso vem sendo apontada para uma única prestadora.

No portal aponta que o início da contratação de empresas que prestam consultoria começou em 2016, mais precisamente no mês de março – quando a Setur realizou a despesa apenas nesse serviço no valor de R$ 24.122,62. Por sua vez, deste período até o momento o valor investido para isso foi crescendo de forma gradativa. Apenas no referido ano, o órgão gastou R$ 4.822.822,65 – sendo R$ 4.254.227,32 para pagar a Companhia Brasileira de Projetos e Empreendimentos (Cobrape).


Em 2017, o montante realizado para pagar as empresas atingiu a quantia de R$ 7.016.676,38 – mais uma vez, assim como ocorreu no ano anterior, a empresa Cobrape executou o serviço de consultoria e recebeu R$ 2.601.281,81.

No ano de 2018, ainda de acordo com o conteúdo do portal da transparência, apenas para a execução específica do serviço de consultoria foram R$ 9.521.217,56. Novamente a empresa Cobrape foi a fonte principal despesa para a Setur – exatamente R$ 1.900.450,72.

Já este ano, apenas até o mês de abril, a Setur já realizou o pagamento para consultoria de R$ 2.418.104,51 – sendo R$ 748.115,19 para a Cobrape.

Inclusive, a denúncia foi comentada no programa de rádio da Nova Brasil FM, pelo radialista André Barros, que considerou as dificuldades e a crise financeira que o Governo de Sergipe passa – realizando até cortes duros de despesas. “Mas a empresa está ganhando muito com consultoria desta secretaria. Ela fica localizada no Bairro 17 de Março, um bairro popular, pobre”, disse.